CIRURGIAS

Conheça o passo a passo da reconstrução mamária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on skype
Share on whatsapp
Share on telegram

A reconstrução mamária é realizada através de várias técnicas que tentam restaurar a mama, considerando forma, aparência e o tamanho; após a mastectomia (retirada da mama, de forma parcial ou total, para remover ou prevenir o câncer de mama).

Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), atualmente é possível fazer a reconstrução mamária imediata em cerca de 90% dos casos. Isso evita que a paciente tenha de lidar com o fato de ter retirado parte ou ambas as mamas por conta do tratamento oncológico, melhorando seu processo de adaptação à rotina.

Como é realizada a reconstrução de mama?

A reconstrução mamária pode ser realizada por meio de diversas técnicas. A metodologia ideal será definida pelo cirurgião plástico, uma vez que o profissional avaliará a estrutura corporal da paciente para decidir de que maneira o procedimento deixará a silhueta mais harmoniosa.

reconstrução de mama é feita por meio de 5 etapas, conforme as normas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). São elas:

1.     Anestesia

Ao entrar no centro cirúrgico a paciente será anestesiada para ter mais conforto durante a cirurgia. Geralmente, os cirurgiões plásticos optam pela sedação intravenosa ou anestesia geral, de acordo com o estado de saúde do indivíduo.

2.     Técnica de retalho músculo cutâneo transverso do reto abdominal (TRAM)

O tratamento de câncer pode gerar vários efeitos na região mamária, como deixar tecido insuficiente na parede torácica — fazendo com que a sustentação ou cobertura do implante mamário seja dificultada. Por esse motivo, é comum os cirurgiões plásticos utilizarem uma técnica chamada de retalho músculo cutâneo transverso do reto abdominal (TRAM).

O retalho TRAM tem como doador a própria paciente. Ou seja: é possível retirar uma parte de músculo, gordura ou pele do abdômen da mulher para fazer a reconstrução mamária. A permanência do retalho no organismo ocorre por meio do suprimento sanguíneo original, sendo tunelizado e depois posicionado na região da caixa torácica, ou ser completamente separado para construir o formato da nova mama.

O médico também pode escolher a técnica do retalho abdominal livre baseado em artérias perfurantes (DIEP) ou a técnica SGAP. Essas abordagens permitem que o tecido seja retirado das nádegas ou do tórax superior.

3.     Técnica de expansão da pele para cobertura do implante mamário

Esta técnica de reconstrução de mama é conhecida por oferecer uma recuperação mais rápida, porém, trata-se de um procedimento mais demorado do que os demais. Conforme dito anteriormente, a técnica de reconstrução mamária será definida pelo cirurgião plástico de acordo com as complexidades do caso.

4.     Cirurgia para colocar o implante mamário

A implantação da prótese mamária pode ser utilizada como um complemento à técnica de retalhos ou como uma alternativa, caso ofereça o melhor resultado estético possível para a paciente. O médico decidirá em parceria com a paciente qual prótese é mais indicada para alcançar o efeito esperado.

5.     Técnicas para criar a aréola e o mamilo

A última etapa da reconstrução de mama é a criação de um novo mamilo e aréola. Para isso, o cirurgião plástico pode fazer de técnicas especializadas para tal como o enxerto, por exemplo.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM);

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Aproveite para tirar mais dúvidas e agendar sua avaliação com nossa equipe está pronta para lhe atender e retirar todas as suas dúvidas, Agende sua consulta através do nosso Whatsapp 98127-1010InstagramFacebook, ou  pelo telefone 4101-9144.