CIRURGIAS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on skype
Share on whatsapp
Share on telegram

Todo mundo conhece alguém que já fez ou que pretende fazer uma cirurgia plástica — desde lipoaspiração e implante de prótese de silicone até mamoplastia e cirurgias de face. Essas cirurgias podem até parecer corriqueiras, mas envolvem uma complexidade não só de procedimentos, mas também de preparo psicológico.

Nesse sentido, estar preparado emocionalmente antes de realizar uma cirurgia plástica é essencial não somente para manter a saúde mental, mas também para ajudar no processo de recuperação e até mesmo no resultado final.

Pensando nisso, preparamos um post em que explicaremos com detalhes por que o lado emocional deve ser levado em consideração antes de realizar uma cirurgia. Fique conosco e confira!

O brasileiro e as cirurgias plásticas

De acordo com um levantamento realizado pela Isaps (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética), o Brasil é o segundo país do mundo que mais realiza cirurgias plásticas, perdendo apenas para os Estados Unidos. Só em 2015 foram 1,22 milhões de cirurgias plásticas realizadas no nosso país.

Frente a esses dados, podemos dizer, com certeza, que os brasileiros buscam por uma aparência física harmoniosa. E não é à toa: estar de bem com nossa autoestima traz muito bem-estar e nos permite estabelecer uma relação mais saudável com nosso corpo.

Porém, nem sempre a decisão de realizar uma cirurgia plástica é tranquila: é comum ela vir acompanhada de sentimentos como ansiedade, medos e angústias, tabus e muita falta de informação.

Tendo isso em mente, antes de dar qualquer passo, é fundamental refletir sobre as razões pelas quais você deseja fazer uma intervenção cirúrgica em seu corpo. E é exatamente isso que veremos a seguir!

As cirurgias plásticas e o lado emocional

Em primeiro lugar, tenha em mente que a cirurgia plástica é uma intervenção que está sendo realizada em nosso corpo e, por conta disso, devemos pensar o que de fato esperamos com tal procedimento.

Nesse sentido, é importante lembrar que procedimentos cirúrgicos não são capazes (e nem devem) de fazer milagres. Eles não farão com que mais pessoas gostem da gente e não salvarão um casamento que já está falido. Isso porque, se colocarmos a cirurgia plástica a serviço das nossas frustrações — esperando que ela seja a solução de nossos problemas — certamente ficaremos desapontados.

A realização e o sucesso pessoal não dependem apenas de aspectos relacionados à estética. Longe disso. Estar insatisfeito com a vida pode ter relação com fatores psicológicos de que, muitas vezes, não possuímos consciência.

Assim, é imprescindível que tenhamos claro para nós mesmos quais são os reais motivos de estarmos procurando por uma cirurgia plástica, pois é somente dessa maneira que seremos beneficiados integralmente com as mudanças que ela pode trazer.

O preparo emocional para cirurgia plástica

Estar preparado emocionalmente para uma cirurgia plástica envolve duas principais práticas: a escolha de um momento adequado e a procura por auxílio psicológico. Vejamos cada um deles:

Escolher o momento ideal

A preparação para uma cirurgia plástica inicia-se no momento em que tomamos a decisão de fazê-la e escolhemos uma equipe médica capacitada, que nos transmita confiança e esteja de acordo com nossas necessidades e objetivos.

Paralelamente a essa preparação, há outra de igual importância que se refere ao campo emocional. Nesse sentido, seja no período de pré- ou de pós-operatório, é necessário que nos preservemos de situações que possam de alguma forma nos deixar angustiados, tensos ou ansiosos.

Diferentemente de outras cirurgias, a cirurgia plástica com finalidade estética não possui urgência em ser realizada. Assim, não tenha pressa em fazê-la: se você está passando por crises no casamento, sofrendo pela perda de entes queridos ou simplesmente não está se sentindo bem, espere mais um pouco e a realize no momento ideal — quando estiver pronto física e psicologicamente.

Procurar auxílio psicológico

Além de escolher um momento apropriado, é muito importante também procurar por um auxílio profissional.

Nessa perspectiva, o psicólogo é o profissional que trabalhará as questões emocionais que envolvem a cirurgia plástica, principalmente no sentido de desvendar as reais motivações que estão impulsionando o paciente a procurar por um procedimento cirúrgico.

Vontade de melhorar a autoestima ou distorção de autoimagem? Real necessidade ou simples correção de defeitos inexistentes? Quais são as expectativas que estão sendo depositadas na cirurgia? O psicólogo é o profissional que vai averiguar a estabilidade emocional do paciente e verificar se ele está de fato pronto para uma cirurgia.

Em outras palavras, é ele que vai dar o suporte mental para o paciente reconhecer a necessidade do procedimento cirúrgico e, em caso afirmativo, dar assistência antes e depois para que tudo ocorra da melhor maneira possível.

A importância do fortalecimento emocional antes da cirurgia

Como já dissemos, estar tranquilo antes, no dia e depois da cirurgia pode ter influências muito positivas no resultado final e também no processo de recuperação.

Isso porque corpo e mente estão intimamente ligados: quando estamos bem emocionalmente, nosso organismo reage de maneira adequada à cicatrização e aos fatores imunológicos de maneira geral. Quando, entretanto, estamos enfrentando problemas emocionais, há um significativo déficit de defesa no nosso corpo.

Normalmente, quem não está preparado psicologicamente para uma cirurgia plástica fica mais suscetível a um sono instável, à dor e até mesmo a transtornos gastrintestinais — o que acaba atrapalhando a recuperação.

Aproveite para tirar mais dúvidas e agendar sua avaliação com nossa equipe está pronta para lhe atender e retirar todas as suas dúvidas, Agende sua consulta através do nosso Whatsapp 98127-1010InstagramFacebook, ou  pelo telefone 4101-9144.